Conto

Viagem

Corri o mundo de pernas cambaleantes e de alma nómada e vazia.

Conheci rostos e vozes, pessoas boas e más, sanas e loucas, fortes e fracas.

Estive em lugares grandes e pequenos, em cidades modernas e antigas, povoadas e desertas.  Fui testemunha de atrocidades e de gestos lindos; soube de mortes devastadoras e de  nascimentos milagrosos: vi alegria e tristeza, luz e escuridão. Vi vidas mudarem.

Tive experiências para esquecer, outras memoráveis; umas que me marcaram, outras que se  perderam na minha memória falível.

Mas prendi-me à tendência para o desprendimento. A minha única constante foi a  instabilidade. Mergulhei na indiferença e na efemeridade daquilo que me rodeava durante o  que me pareceu uma eternidade, porque de cada vez que me lembrava do quão gigante o  universo era em comparação com a minha inútil pessoa, uma tristeza profunda avassalava-me.  E esse era o único sentimento que realmente me conseguia manter acordada de noite.

Até que por fim, no meio do meu desespero por algo que me lembrasse de casa, algo que me  trouxesse conforto, algo que me suscitasse um sentimento quente… Encontrei-te a ti.

Foste o melhor dos acasos. Um simples coração que se uniu ao meu de uma forma tão macia e  doce, como mais nenhum tinha antes feito. Não foste uma experiência nem uma memória,  nem te associo a um lugar que visitei ou a um rosto que vi: foste a parte de mim que eu  encontrei após a procura incessante, a impaciência, o desconcerto e a saudade dolorosa de  algo que não conseguia descrever.

E depois de ter corrido o mundo uma vez, voltei a fazê-lo, gozando a jornada, de pernas fortes  e alma inchada, de braço dado e sorriso nos lábios… e continuámos a ser seres inúteis, cuja  vida não tem significado, mas fomo-lo juntos, e sempre com a consciência de que um dia  voltaríamos para casa.

Por: Diana Lopes (Escritora e Criadora de Conteúdo)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.